Dicas para memorizar conteúdos de estudo

Memorizar é demonstrar que houve aprendizado de uma informação. A memória está em constante evolução e, caso não seja um ponto forte pessoal, ela pode ser exercitada e adquirir um melhor desempenho.

Aquele dado importante que você aprendeu há alguns anos, mas que não encontrou qualquer anotação e já não se lembra mais, pode estar onde menos se espera: no seu próprio cérebro. Sim, porque ele recebe as informações, as armazena, mas cabe a você saber acioná-lo e recuperar as informações. Memorizar, afinal, também implica recuperar.

Mas como fazer isso?

Não há uma fórmula perfeita nesse caso, mas é possível trabalhar seu cérebro – e a sua memória – a seu favor e, assim, conseguir mais eficiência e ter menos risco de perder informações importantes.

Memorizar textos

Como dar mais saúde ao cérebro

  1. Evite lugares com pouca circulação de oxigênio ou aparelhos de aquecimento que dão sensação de “sufocamento”. Ambientes arejados são excelentes para revigorar e inspirar ar de qualidade.
  2. Durma bem. Nesse caso, não se fala em dormir excessivamente, mas ter um sono de qualidade, sem interrupções. De 7 a 8 horas de sono para uma pessoa adulta é o ideal. Já estudantes de 16 a 22 anos precisam dormir de 8 a 9 horas por noite.
  3. Para os fumantes, uma má notícia: a longo prazo, o tabaco é um vilão da memória. Portanto, se precisa de dicas para memorização, essa é definitivamente uma delas. O cigarro pode até dar mais concentração ao fumante em um primeiro instante, mas o prejuízo se vê mais tarde.
  4. Quanto mais álcool, menos lembranças. Isso não é lenda, é realidade. Informações adquiridas durante uma conversa regada a álcool, mesmo que a ingestão tenha sido pouca, já têm uma grande chance de serem dispensadas depois.
  5. Consuma alimentos que contêm magnésio. A substância é uma aliada da memória. Sugestão: pão integral e legumes de coloração verde. Gordura e açúcares devem ser evitados.
  6. Não desista na primeira dificuldade. Acredite que a sua memória não falhará e treine-a com confiança. Proponha desafios a ela. Muitos são os exercícios disponíveis no mercado para praticar.

Testes para exercitar a memória

Criar listas de objetos aleatórios e tentar lembrar cada item contido é uma boa forma de exercitar o cérebro para memorizar com qualidade. Com o tempo, o desafio deve ficar mais difícil, a lista deve ficar mais extensa e a cobrança também, sendo possível conseguir armazenar informações da sequência exata em que os objetos são apresentados.

Aquele exercício necessário quando se esquece onde foram colocadas as chaves do carro pode ser interessante também para a memorização. Tentar se lembrar de todas as ações feitas no dia anterior é bastante eficiente.

Leia poemas e versos cursos e depois verifique se conseguiu decorá-los. Estabeleça essa meta.

Técnicas de memorização

Há algumas dicas de como memorizar melhor disponíveis e podem ajudá-lo a desenvolver melhor a sua habilidade em assimilar e absorver conteúdos.

  1. Estabeleça relações e faça associações. Faça esquemas. Algo que o estudante já conhece pode ser associado às novas informações. Há uma infinidade de possibilidades, como fazer rimas e fazer uma imagem mental, associando a imagem da nova informação a uma já conhecida. Crie relações que existam na sua cabeça.
  2. Associe números e letras. Assim, fica mais fácil lembrar aquele nome complicado e que, certamente, será utilizado em algum exercício da prova. Essa aplicação o fará aprender como memorizar mais rápido, sem sofrimento.
  3. Se precisa decorar uma lista com obras de um autor ou a discografia de um músico, por exemplo, crie uma história mental que envolva todos os itens. Ficará mais fácil se lembrar do roteiro.
  4. Identifique a aplicação daquele conteúdo.
  5. Associe o estudo com a prática.
  6. Memorize o mais importante. A partir daí, tente raciocinar o que é relacionado.
  7. Revise o material de estudo quantas vezes forem necessárias.